fbpx

Como lidar com um dependente químico: Descubra o que fazer e o que não fazer!

O desafio de entender como lidar com um dependente químico é muito grande. Dependentes químicos têm tendência a mentir por qualquer motivo, em um primeiro momento para esconder sua deficiência, até que, em algumas vezes, acabam acreditando nas próprias mentiras.

Eles também perdem a vontade de viver a sua vida e se dedicam completamente ao uso do entorpecente, abandonando, assim, a família e os amigos antigos. Alguns usuários apresentam anomalias psicológicas que interferem diretamente nas suas relações interpessoais.

Além da ansiedade e da depressão, diversos compostos químicos são capazes de causar alterações no comportamento do indivíduo, o qual pode se apresentar mais irritado e inquieto do que o normal.

Dependentes costumam não se interessar por auxílio, negar sua dificuldade até chegar a um ponto sem saída, onde já perderam sua família, seus amigos, o emprego e a carreira. A utilização de drogas também costuma ocasionar comportamentos violentos e agressivos nos usuários.

Essas e outras características desses indivíduos podem afastar pessoas próximas de seu convívio. A falta de informação também é um fator crucial para a escolha de metodologias ineficazes na forma de lidar com dependente químico.

A família do dependente químico e seus sentimentos

É comum ouvir falar sobre os três “C’s” relacionados à família do dependente. São eles a causa, o controle e a cura. O primeiro diz respeito a não se culpar pela situação vivida pelo membro da família. Ninguém pode ser taxado como a causa do problema. O segundo está ligado ao controle familiar, nenhuma outra pessoa pode controlar esse vício além do próprio usuário.

O terceiro é relacionado à incapacidade de um membro da família curar um indivíduo sem que o dependente decida por isso. É essencial que os familiares não se responsabilizem pela situação, esse fato é importante principalmente para que o usuário não seja poupado dos efeitos dos seus atos.

Fazer um dependente químico deixar o seu vício sem um acompanhamento profissional é extremamente difícil e nenhum familiar deve assumir esse encargo. É necessário reconhecer os sintomas e procurar ajuda.

Além do mais, a internação ou o acompanhamento forçado de um dependente pode gerar uma recaída posterior. Dessa forma, é interessante que o próprio usuário tenha consciência de seu estado e busque por auxílio.

Atitudes que os familiares devem tomar

Grupos de ajuda aos familiares são ótimas soluções para aliviar o esgotamento ao lidar com um dependente químico. Trocar experiências e relatos são opções que auxiliam e muito as famílias dos usuários. Se você é parente ou amigo de algum dependente, confira o nosso Guia de Como Lidar com Dependentes Químicos.

Amigos e pessoas da família devem primeiramente cuidar de si mesmas antes de lidarem com um dependente próximo. Tenha sempre em mente que você não é responsável pelas atitudes da pessoa, portanto não tolere todo comportamento e tratamento vindo do indivíduo, mantenha limites. Proíba o usuário de te manipular.

Durma bem, alimente-se de forma saudável e se exercite regularmente. Para cuidar de outra pessoa é necessário estar com a saúde física e mental em perfeito estado. Procure por informações sobre como o vício altera biologicamente a fisiologia do usuário. Dessa forma, será mais simples compreender as atitudes e os comportamentos de um dependente.

Entenda o ambiente que ele está inserido. Em muitos casos, o fator ambiental é muito relevante para desencadear um vício. Compreenda o lado psicológico do viciado e ofereça apoio sentimental.

Muitas abordagens podem ser utilizadas para lidar com essas pessoas, apesar de trabalhosas são os primeiros passos para que um dependente procure por ajuda de um profissional.

O que fazer para lidar com um dependente químico

Ofereça afeto

Demonstrar carinho e amor a um usuário nem sempre é uma tarefa simples. Comumente, pessoas próximas podem se sentir magoadas ou até mesmo ameaçadas pelos comportamentos desses indivíduos. Todavia, é essencial que eles se sintam amados e acolhidos para que possam confiar e ceder a um tratamento.

Converse

Tente manter um diálogo tranquilo com o dependente enquanto ele estiver sóbrio. Demonstre o quanto é difícil conversar com ele quando está drogado. Mostre a ele a distância entre o caminho que está trilhando e o alvo que deseja alcançar. Mantenha serenidade e mansidão ao abordá-lo. Conserve-se interessado na comunicação.

Demonstre empatia

Escute, acolha e compreenda as questões do usuário, independente de concordar ou não. Utilizar expressões como “eu te compreendo” geram afinidade e sentimento de vínculo.

Lide com a resistência

Resistir à abordagem é uma característica de dependentes químicos. É interessante aguardar a sua própria vontade de mudar. Informe-o sobre como procurar ajuda e demonstre que é a melhor alternativa. Mostre como a saúde tende a se fragilizar e aguarde a sua vontade.

Encoraje-o

Mostrar à pessoa que é possível mudar essa situação e motivá-la é essencial para que ela acredite no seu potencial e opte por transformar o seu modo de viver. Elevar a autoestima em momentos de fraqueza também é uma forma de encorajar.

O que não fazer para lidar com um dependente químico

Não o confronte

O ideal é que o usuário por si só tome a decisão de buscar por auxílio, para isso é interessante sugerir essa procura e não impor de alguma forma.

Não o julgue

Diversos fatores podem desencadear um vício. Uma pessoa viciada não é sinônimo de fraqueza ou de falta de força de vontade. Ser preconceituoso só afastará esse sujeito do seu convívio, o que pode fazer com que ele procure amizades que não acrescentarão positivamente nesse momento.

Caso você esteja vivendo esse dilema, não deixe de procurar ajuda especializada. Em grandes cidades como São Paulo, há uma infinidade de grupos de apoio. Pesquise sobre clínica de reabilitação em SP ou clínica para dependentes químicos em SP. Busque uma que possua tratamentos diferenciados e multidisciplinares para atender da melhor forma o dependente.

A clínica Jequitibá em Atibaia é um exemplo de espaço que atende essas pessoas com excelência. Investir no diálogo e em grupos de apoio é essencial para o sucesso em como lidar com um dependente químico. Não desista, insista e seja compreensivo. Conscientize-o sobre como a vida pode ser melhor sem as drogas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *